Avesso por Adriana Janaína Poeta/ in Manuscritos/ Clube de Leitura dos Poetas

Avesso
Por Adriana Janaína Poeta

Se você enxergar
um pouco além,
não se espante.
Não mova um só passo.

Porque você terá que aprender
a ser discreto e o mais insípido.
Andar pelo canto do asfalto,
à margem do mundo.

Ninguém entenderá
o teu olhar divagando.
A sua natureza singular,
sempre se sentindo desconfortável.

Porque você sabe
que falta algo.
Que desperdiçam o principal,
que se importam com o que é menor.

Mas, ninguém mais saberá,
ninguém.
E se você ficar atento,
irá buscar um ou mais passatempos.

Para fluir tua energia.
Para treinar a sua mente ágil.
Para camuflar o seu avesso.
Para que ninguém perceba a tua luz brilhar.

Porque, a maioria irá farejar,
sempre no teu encalço.
Não para te ajudar, não para, 
simplesmente, te ver passar...

Mas, para arrancar pedaços.
Para procurar defeitos,
e ai de você
se nunca puderem encontrar...

Porque, embora as árvores
nunca sejam iguais,
você, sendo avesso,
teria que ser.

Porque, embora um dom
seja uma dádiva,
na maioria,
vai doer. 








Comentários

Postagens mais visitadas