Areia branca por Adriana Janaína Poeta

Areia branca
Adriana Janaína Poeta

Uma folha branca,

rio sereno,
uma madrugada fria
perdida no tempo.

O teu olhar derrama
em silêncio  
o que na terra 
carrega o vento.

O mar distante,
areia branca,
lembra o teu rosto,
poesia errante.

Sempre ao teu lado
está o que sinto,
entre as estrelas adormece
o canto.

Foi fogueira alta
na tarde quente
o que por breve e suave
repousa no instante.

Teus olhos de lua,
silente e ardente,
caminham no firmamento,
poeira e brisa.

O amor é um rio,
caudaloso e  imprevisível,
tua presença é fogo,
encanto e destino.




Comentários

Postagens mais visitadas